25 janeiro 2017

Resenha: Batons Mary Kay.


   Olá meus leitores, tudo bem com vocês?
   Eu tava morrendo de saudade de escrever por aqui. Já faz muito tempo que eu estava procurando o que escrever, mas milhares de ideias passavam pela minha cabeça, porém eu não conseguia tirá-las do papel. Entretanto, um bom filho a casa torna. Espero que gostem da minha volta e muitas coisas novas estão por vim nesse ano.

Direito autoral. 

   No post de hoje eu vim trazer para vocês dois batons da Mary Kay, que eu estou completamente apaixonada.
   Eu conheci os batons da marca a pouco tempo, e confesso que no início não tinha sido muito feliz com minhas escolhas, mas logo então percebi que a cor tanto de um, como do outro serviam tanto para aqueles dias que não queremos passar nem um rímel no rosto, como nos dias que a maquiagem de olho preto faz parte de nós.

Site Mary Kay
Batom Hibiscus:

-Preço: R$ 39,90.

- Qualidade: Eu gostei, porém eu já vi batons com a durabilidade melhor. Ele tem um gosto e um cheiro bom (isso sempre me incomoda), mas não foi o que aconteceu com esse batom, que me agradou nesse fator.

Obs.: Eu achei que a cor dele engana muito. Vendo a cor no frasco e até mesmo na imagem ele tem um tom mais puxado pro vinho, o que não acontece na pele ou até mesmo na boca que a cor fica rosa. Isso sem dúvidas foi o que mais me chateou.






Site Mary Kay.
Batom Red: 

- Preço: R$ 39,90 também.

- Qualidade: Foi a mesma opinião do anterior. Tendo que ressaltar também que a embalagem, apesar de não ser tão importante, ganhou uns pontos a mais. Achei a embalagem super moderna, o que mais me agradou nela foi a tampa que tem a cor referente ao batom. Assim fazendo com que eu ache o batom desejado mais facilmente.

Obs.: A cor da imagem e da embalagem também engana bastante. Porém como eu havia desejado um batom puxado para o vinho no outro produto, quando eu vi que esse ao ser aplicado na pele ficava um vinho mais rosado eu simplesmente amei. A cor super me agradou.
Prestem bastante atenção quando for comprar batom porque a cor engana.


      Eu acho que vale a pena comprar os batons, mas também os pontos negativos tem que serem lembrados. Já que o preço além de ser um pouco salgado também é uma coisa que não agrada todos os gostos.
     Eu espero que vocês tenham gostado do post de hoje. As coisas por aqui estão indo pro seu devido lugar, então eu to pensando em fazer algumas mudanças, mas isso vocês irão percebendo durante os próximos meses. Me deixe sua opinião nos comentários que eu irei amar ler cada uma!

06 novembro 2016

Minha História: Auto Estima


  Oi leitoras, tudo bem com vocês?

  Eu nunca me apresentei realmente nesse blog e também nunca contei  a minha história. Porém é tão difícil falar de algo que você não sabe como começar ou então não acha as palavras certas, por que sempre foi parte de você e de certa forma nunca precisaram ser colocadas pras pessoas ouvirem.



   Quando eu tinha aproximadamente 1 ano, minha mãe percebeu que eu não caminhava direito. Até conseguia dar alguns passos, porem meu pé ficava torto e realmente tinha algo nisso. Passado alguns meses apesar da dificuldade na época minha mãe conseguiu uma consulta com um Ortopedista já que poderia ser um dos únicos ramos da medicina que realmente iria me ajudar.
    Foi ai então, que descobriram que eu tinha Paralisia Cerebral e a parte afetada do meu corpo foi o lado direito. Nessa época eu realizei a primeira cirurgia na perna direita onde ficaram várias marcas de cicatrizes que permanecem comigo até hoje. Nessa época eu também comecei a fazer fisioterapia e apesar de tudo continuei fazendo por mais doze anos duas vezes por semana.

   Essa é um pouco da minha história  e foi através dela que eu resolvi entrar nesse assunto. Hoje em dia eu parei de fazer fisioterapia, mas eu não estou curada e eu sei que essa foi uma escolha que eu posso me arrepender muito no futuro. Entretanto foi os doze anos mais cansativos pra mim, e eu senti que naquele momento eu só queria parar um pouco e respirar. Era cansativo pra mim e quando eu recebi a noticia que eu nunca ia ficar curada eu realmente desisti, e eu procurei outras formas de me aceitar.

  Eu sempre tive muito apoio familiar e de amigos, porém quando eu comecei a crescer eu fui me sentindo inferior. Sempre foi difícil pra mim olhar pras professoras de educação física e elas me xingarem por não fazer certas atividades e eu literalmente não poder falar nada. Por esse motivo eu sempre usei calça e tênis para ir a escola, as professoras realmente não conseguiam enxergar o que tava por baixo disso. Outro fator foi eu não poder usar salto alto já que meu pé fica torto quando coloco o mesmo. Isso começou a me machucar muito, tanto psicologicamente quanto fisicamente já que eu perdia totalmente a vontade de me arrumar.

   Porém a um ano atrás eu comecei a olhar mais pra mim mesma. Acho que as pessoas deveriam fazer isso mais vezes. Eu notei que minha perna apesar de ser fina e ter algumas cicatrizes continua sendo eu. É nela que eu vejo tudo o que eu passei, seria como uma lembrança e algo que eu carrega-se comigo pra lembrar que eu posso ser forte o suficiente pra enfrentar diversas coisas.

   As pessoas são diferentes, tem histórias diferentes. Ninguém sabe o que a pessoa passou pra ta ali. Então porque julgar? Porque se achar inferior? As pessoas precisam aprender que a gente não ganha tudo de mão beijada, uma hora isso vai ser cobrado e o que é teu vai vim. Aprenda a olhar pra si mesmo, ache qualidades em você.

   Uma coisa que eu sempre digo é: Quando você estiver triste pensa em tudo o que você já realizou na vida, por mais pequenas que possam ser ou até mesmo pense nas coisas que quer fazer. Agora responda pra si mesmo: Alguém realizou isso pra você, ou você foi la e correu atrás pra realizar? Então foque nos seus sonhos e na sua vontade de ser você mesma, de mostrar pro mundo que você não ta aqui de brincadeira.
 
   Pra mim a auto estima é muito mais que amar o seu físico (claro isso é importante mas vem com o tempo), entretanto é mais amar o seu interior. É amar o que você tem, o que você quer, é agradecer por estar vivo e principalmente se aceitar e ver que você é capaz de muita coisa.

 

 

13 agosto 2016

Resenhando: Querido John - Nicholas Sparks.



Titulo: Querido John. 

 Autor: Nicholas Sparks.

 Editora: Novo Conceito.

 Dados sobre o autor: Nicholas Sparks é um escritor norte americano que obteve grande sucesso literário com diversos romances, que aliás já foram adaptados no cinema. O escritor é casado e pai de cinco filhos. Escreve um livro por ano. Vive em um pequena cidade no estado de Carolina do Norte (lugar bastante citado em seu livros). Seus livros já foram adaptados para 45 idiomas.

 Sinopse: O livro vai contar a história de John que nasceu e cresceu na Carolina do Norte com seu pai. Sua mãe o abandonou ainda quando John era pequeno. Seu pai um homem solitário, de poucas palavas, não demonstrava muitas emoções e junto o amor que sentia pelo filho. Sua grande paixão sempre foi o a sua coleção de moedas que adquiriu durante a vida.
   Conforme foi crescendo, John parou de se interessar pelas moedas de seu pai, dando lugar  a coisas tipicas da sua idade, como festas, garotas e claro bebidas. Entretanto após concluir o ensino médio acaba se alistando para o exército, ate por que, o que teria a perder?
    Durante uma de suas licenças, John acaba voltando para a casa do seu pai. Acaba indo ate a praia surfar e é lá que  acaba conhecendo  Savannah. Uma garota que estava lá construindo casas para pessoas necessitadas e a partir dai começam a se conhecer.
    Naquela semana descobrem o amor existente entre os dois. Porem John precisa voltar para o exército e junto leva uma carta de Savannah. O meio de comunicação entre o casal passa a ser por telefonemas e milhares de cartas de amor. Apesar da ansiedade para voltar para ocorre o atentado de 11 de setembro. Isso faz com que John tenha que se realistar e deixar de lado sua vida ao lado de Savannah.
   É ai então, que uma carta muda tudo...


   Opinião sobre a obra: 
   Esse é o quarto livro que eu leio do autor. Eu gostei e muito da leitura apesar de alguns pontos terem me decepcionado. Primeiramente o final me deixou muito abalada, pois não é um final como todos os leitores esperam e muito menos o que eu esperava. O segundo ponto negativo é que em alguns pontos eu achei a escrita do autor parada o que só me fazia querer desistir de ler o livro.
  Entretanto eu amei a ideia da história. Os personagens me cativaram do inicio ao fim, pois eles realmente pareciam reais.
  Recomendo e muito a leitura!

   A lua está cheia, o que me faz pensar em você, pois sei que não importa o que estou fazendo, e onde estou, esta lua será sempre do mesmo tamanho da sua... do outro lado do mundo. 
 
    Bom amores quem quiser saber mais sobre o livro tem o filme, eu recomendo também pois ele acaba sendo bem diferente do livro o que não interfere e muito na leitura.
   Quero desejar a todos os pais um "Feliz dia dos pais!" e claro para o meu também. Vocês são nossos heróis sem capa. Obrigado por tudo!        - Beijos!

10 agosto 2016

Irei me amar primeiro!


   Cheguei em casa depois de uma longa tarde estudando. Tirei meus tênis surrados e por lavar, acho que morar sozinha não seja a melhor coisa. Pela janela do meu quarto podia observar todos que passavam pela rua, e por um minuto desejei ser qualquer pessoa.
   Ultimamente tenho me tornado alguém que nunca desejei ser. De todas as músicas que podia escutar, simplesmente peguei a nossa. Ela estava em um CD que você me deu no meu aniversário. Sim ainda guardo todos os seus presentes e lembranças, acho que é isso que me deixa viva. Coloquei a música para tocar e me senti a garota de quinze anos, aquela que não via a hora de chegar o final de semana para poder te ver. Esperava ansiosa por cada dia, por que sabia que você seria meu, nem que fosse por poucas horas.
   Depois disso lembrei de todos os dias em que você apareceu na minha casa, assim sem avisar. Ficávamos deitados na cama trocando beijos e olhares. Sabíamos que não precisávamos de palavras para demonstrar tudo o que  sentíamos um pelo outro.  Depois das lembranças tudo o que sobra é a saudade. É a vontade de voltar no tempo e por um minuto viver tudo aquilo novamente. Digamos que eu desejo isso até hoje.
   A saudade que eu tenho de você tem me deixado cada vez mais insegura sobre mim mesma. Sei que você não gostaria de me ouvir falar isso. Sempre ouvi falar que amava meu jeito seguro de ser, mas será que eu realmente era assim?

  Foi nesse momento que me olhei no espelho e percebi que sim eu tenho saudades suas. Que eu vou continuar tendo-as, porém eu tenho que viver minha vida. Você não iria aparecer do nada e disser o quanto ainda me ama e muito menos compreender meu jeito louco de ser. Percebi que primeiramente tenho que amar cada detalhe meu, para ai sim, amar os seus.
  Acredito que cada coisa tem seu tempo. Se o nosso vai aparecer não sei, mas de algo tenho certeza, tudo o que fez para mim de alguma forma me fez crescer e compreender que nada mais pode me abalar. Que todas as minhas lágrimas derramadas daqui para frente sejam de alegria. Bom se você estará do meu lado ai depende de você.
  Troquei de música. Vai querer escutar a próxima?